terça-feira, 22 de novembro de 2022

Mundo de Regeneração: Qual nosso papel para estarmos lá? (cont. encontro anterior)

 Casa Espírita Missionários da Luz – Mocidade > 14 anos – 18/11/2022

Tema: Mundo de Regeneração: Qual nosso papel para estarmos lá? (cont. encontro anterior)

Objetivos:

Refletir sobre a responsabilidade de todos nós, cristãos, na construção do mundo de regeneração.

Bibliografia:

- Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. III itens 17 e 18 (Mundos de Regeneração), item 19 (Progressão dos Mundos), Cap. XX, item 4 ‘Missão dos Espíritas’;

- A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’;

- Atualidade do Pensamento Espírita, Divaldo P. Franco/Pelo Espírito Vianna de Carvalho.

Material:

- Trechos a serem lidos em pedaços de papel.

- prancheta, folha e caneta: um para cada jovem.

- Quadro pra fazer esquema da transição pra facilitar a percepção visual.

Desenvolvimento:

Motivação Inicial:

Lembrar do assunto que falamos na semana passada, que se refere ao Mundo de Regeneração, que foi citado pelos Espíritos à Kardec.

Será o tema do Encontro da Família, que faremos no primeiro domingo de dezembro!

Roda de Conversa:

Ir colocando no quadro, um esquema que represente a fase de transição.


1857

Terra - Mundo de Provas e Expiações

Transição

Lutas de Ideias

Revoluções sociais

2150? 2620? ???

Terra: Mundo de Regeneração

- paixões desordenadas;

- orgulho, da inveja e do ódio

Espiritismo: instrumento para nos auxiliar nessa fase de transição

- equidade preside às relações sociais;

- todos reconhecem Deus e tentam caminhar para ele, cumprindo-lhe as leis.


Quantas pessoas têm a Terra hoje? Vocês sabem?


==> acabou de ser divulgado (15/11/2022) que a população mundial chegou a 8 bilhões!

==> e desencarnados? Quem arrisca quantos são?


Atualidade do Pensamento Espírita, Divaldo P. Franco/Pelo Espírito Vianna de Carvalho

A Terra tem condições para manter quase cinco vezes mais o número dos seus atuais habitantes, já que nas Esferas espirituais estão programados para a reencarnação mais de vinte bilhões de seres, que aguardam o momento próprio.” (Perg. 4)


==> essa informação de Vianna de Carvalho é de 1998. Nessa época, a população mundial era de 6 bilhões.

==> então, teríamos na Terra (encarnados + desencarnados) ==> 26 bilhões de Espíritos!

==> todos, esses 26 bilhões precisam estar em disposição íntima para o mundo regenerado, para poderem aqui permanecer...





A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

Grande, por certo, é ainda o número dos retardatários; mas, que podem eles contra a onda que se alteia, senão atirar-lhe algumas pedras? Essa onda é a geração que surge, ao passo que eles se somem com a geração que vai desaparecendo todos os dias a passos largos. Até lá, porém, eles defenderão palmo a palmo o terreno. Haverá, portanto, uma luta inevitável, mas luta desigual, porque é a do passado decrépito, a cair em frangalhos, contra o futuro juvenil. Será a luta da estagnação contra o progresso, da criatura contra a vontade do Criador, uma vez que chegados são os tempos por ele determinados. (item 26)


==> Lutas de ideias pela diversidade de estágio moral dos Espíritos encarnados, que não reencarnavam há muito tempo, com os que já estão com a disposição íntima do mundo de regeneração. Dois grupos divergentes, convivendo na sociedade nessa época de transição.

==> É importante termos essa percepção, para não acharmos que o mundo está pior, que não tem jeito, e nos deixarmos levar pelo pessimismo.


==> Então, estamos na fase da ‘arrumação da casa’. Quem já teve obras em casa? É bagunça e poeira pra todo lado! Mas tudo bem, pois os moradores da casa sabem que é uma reforma para melhorar a casa!

- numa reforma, nós sabemos como é o processo, os passos que precisam ser dados até a conclusão da obra.


- Nessa fase, como vocês acham que está o mundo espiritual da Terra? Vemos que entre os encarnados, haverá essa ‘revolução social’, luta de ideias, abalos sociais. Mas e o plano espiritual?


A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

Uma coisa que vos parecerá estranhável, mas que por isso não deixa de ser rigorosa verdade, é que o mundo dos Espíritos, mundo que vos rodeia, experimenta o contrachoque de todas as comoções que abalam o mundo dos encarnados. Digo mesmo que aquele toma parte ativa nessas comoções. Nada tem isto de surpreendente, para quem sabe que os Espíritos fazem corpo com a humanidade; que eles saem dela e a ela têm de voltar, sendo, pois, natural se interessem pelos movimentos que se operam entre os homens. Ficai, portanto, certos de que, quando uma revolução social se produz na Terra, abala igualmente o mundo invisível, onde todas as paixões, boas e más, se exacerbam, como entre vós. Indizível efervescência entra a reinar na coletividade dos Espíritos que ainda pertencem ao vosso mundo e que aguardam o momento de a ele volver.” (…) (item 9)


==> natural, né? Os dois planos, espiritual e material, estão em constante inter relacionamento. Os Espíritos mais endurecidos no mal, não querem que essa mudança se dê, querem permanecer influenciando para o mal os encarnados; não querem ser exilados para outros planetas. A luta de ideias não é só no plano dos encarnados!

==> precisamos estar alertas, vigilantes!


Geração velha

Espíritos da Terra

Geração Nova

Outros mundos de provas e expiações

26 bilhões

Terra Regenerada




Espíritos vindos de outros planetas


- E como seria o processo da transformação de um mundo?


Processo da Transição:

Somo bilhões de Espíritos em experiências reencarnatórias na Terra, encarnados e desencarnados.

Como vocês fariam essa seleção? Como seria a mudança? Quanto tempo seria necessário pra isso?

A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – A Geração Nova

A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas.


Tudo, pois, se processará exteriormente, como sói acontecer, com a única, mas capital diferença de que uma parte dos Espíritos que encarnavam na Terra aí não mais tornarão a encarnar. Em cada criança que nascer, em vez de um Espírito atrasado e inclinado ao mal, que antes nela encarnaria, virá um Espírito mais adiantado e propenso ao bem. (item 27)


==> vemos por esse trecho, que essa mudança seria pela reencarnação mesmo! Reencarnam os que precisam ter uma mudança interior que os capacitem para a Terra regenerada e, caso não consigam essa mudança, não mais reencanariam na Terra.

==> e novos Espíritos (ou os mesmos já com outras disposições íntimas), passariam a reencarnar na Terra.

==> tudo aos poucos. Um projeto para cada Espírito, pois a evolução é individual!


A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

Se supusermos possuída desses sentimentos a maioria dos homens, poderemos facilmente imaginar as modificações que daí decorrerão para as relações sociais; todos terão por divisa: caridade, fraternidade, benevolência para com todos, tolerância para todas as crenças. É a meta para que tende evidentemente a humanidade; esse o objeto de suas aspirações, de seus desejos, sem que, entretanto, ela perceba claramente por que meio as há de realizar. Ensaia, tateia, mas é detida por muitas resistências ativas, ou pela força de inércia dos preconceitos, das crenças estacionárias e refratárias ao progresso. Faz-se-lhe mister vencer tais resistências e essa será a obra da nova geração. (item 23)


==> vemos que não serão Espíritos superiores, pois o mundo de Regeneração, não é um mundo feliz ou celeste. É um mundo de transição. Somos nós mesmos, com outra disposição íntima, com desejo do bem, com maior fraternidade, maior conexão com Deus.


A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – A Geração Nova

A regeneração da humanidade, portanto, não exige absolutamente a renovação integral dos Espíritos: basta uma modificação em suas disposições morais. Essa modificação se opera em todos quantos lhe estão predispostos, desde que sejam subtraídos à influência perniciosa do mundo. Assim, nem sempre os que voltam são outros Espíritos; são com frequência os mesmos Espíritos, mas pensando e sentindo de outra maneira. (Item 33)


Fixação do Conteúdo:

==> O que fazer para estarmos na Terra regenerada?

- E nós, de posse de todas essas informações?

- Como isso deve impactar, direcionar nossas vidas?


A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

É no período que ora se inicia que o Espiritismo florescerá e dará frutos. Trabalhais, portanto, mais para o futuro, do que para o presente. (item 9)


==> o que significa essa orientação? O que é trabalhar mais pro futuro do que para o presente?

- dialogar com o grupo sobre essa questão, conduzindo a reflexão para as atitudes do cotidiano, o espaço de atuação de cada qual, e qual seria a postura que devemos buscar, sabedores dessa fase de transição e das oportunidades que temos na presente existência, como preparação para o mundo regenerado.


A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

Quem quer que haja meditado sobre o Espiritismo e suas consequências e não o circunscreva à produção de alguns fenômenos terá compreendido que ele abre à humanidade uma estrada nova e lhe desvenda os horizontes do infinito.


- o Espiritismo veio nos ajudar nessa fase de transição. Qual a responsabilidade que cabe a nós, espíritas que somos?

==> conduzir as reflexões com relação a cada um, especificamente, e no relacionamento com os demais: como posso contribuir para a construção da Terra regenerada?


Missão dos Espíritas:

- No capítulo XX, que Kardec chamou de Trabalhadores da Última Hora, ele colocou uma msg do Espírito Erasto, que foi discípulo de Paulo de Tarso, com o título de Missão dos Espíritas.

==> temos uma missão! Temos um papel importante nessa fase de transição!


Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. XX item 4 ‘Missão dos Espíritas’ (Erasto, Paris, 1863)

Não escutais já o ruído da tempestade que há de arrebatar o velho mundo e abismar no nada o conjunto das iniquidades terrenas? Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto a vossa fé na sua soberana justiça e que, novos apóstolos da crença revelada pelas proféticas vozes superiores, ides pregar o novo dogma da reencarnação e da elevação dos Espíritos, conforme tenham cumprido, bem ou mal, suas missões e suportado suas provas terrestres.


==> nessa msg, Erasto fala pra gente focar no desenvolvimento das virtudes, em fortalecermos a fé, na fraternidade, e de sermos verdadeiros apóstolos da nova fé, ou seja, de levarmos a certeza da reencarnação, da imortalidade, da lei de evolução, a todos os que cruzam a nossa jornada.

==> para não sermos tímidos! Nos posicionarmos em todas as situações que se apresentam, com o olhar do espírito imortal!

==> esse é o convite que recebemos!

Atividade de Reflexão Individual:

==> Dar uma folha de papel pra cada jovem, e uma caneta. Pedir que dobrem a folha ao meio, e anotem:

- lado esquerdo: o que faço, que ainda é do mundo de provas e expiações?

- lado direito: o que faço que já é de mundo de regeneração?

Dar uns minutos para a reflexão individual e depois que compartilhem com o grupo, caso desejem.

Reforçar que devemos pensar em nossos planos, metas, nossos desejos: estão de acordo com o que se espera de um mundo regenerado?

Prece final.

Avaliação:

Encontro com 5 jovens. Desenvolvi o tema no quadro, fazendo o diagrama, com participação e perguntas dos jovens. 

Não chegamos a fazer a atividade de fixação. Não foram entregues os papéis para lerem, pois toa a conversa foi a partir de respostas às questões deles.

Anexos:

Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. III

Os mundos regeneradores servem de transição entre os mundos de expiação e os mundos felizes. A alma penitente encontra neles a calma e o repouso e acaba por depurar-se. Sem dúvida, em tais mundos o homem ainda se acha sujeito às leis que regem a matéria; a humanidade experimenta as vossas sensações e desejos, mas liberta das paixões desordenadas de que sois escravos, isenta do orgulho que impõe silêncio ao coração, da inveja que a tortura, do ódio que a sufoca. Em todas as frontes, vê-se escrita a palavra amor; perfeita equidade preside às relações sociais, todos reconhecem Deus e tentam caminhar para ele, cumprindo-lhe as leis. (…)

Comparados à Terra, esses mundos são bastante ditosos e muitos dentre vós se alegrariam de habitá-los, pois que eles representam a calma após a tempestade, a convalescença após a moléstia cruel. (item 17)


Mas, ah! nesses mundos, ainda falível é o homem e o Espírito do mal não há perdido completamente o seu império. Não avançar é recuar, e, se o homem não se houver firmado bastante na senda do bem, pode recair nos mundos de expiação, onde, então, novas e mais terríveis provas o aguardam. (item 18)


O progresso é lei da natureza. (...)

Ao mesmo tempo que todos os seres vivos progridem moralmente, progridem materialmente os mundos em que eles habitam. (...)

Marcham assim, paralelamente, o progresso do homem, o dos animais, seus auxiliares, o dos vegetais e o da habitação, porquanto nada em a natureza permanece estacionário. (...)

Segundo aquela lei, este mundo esteve material e moralmente num estado inferior ao em que hoje se acha e se alçará sob esse duplo aspecto a um grau mais elevado. Ele há chegado a um dos seus períodos de transformação, em que, de orbe expiatório, mudar-se-á em planeta de regeneração, onde os homens serão ditosos, porque nele imperará a lei de Deus. — Santo Agostinho. (Paris, 1862.) (item 19)




Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. XX item 4 ‘Missão dos Espíritas’ (Erasto, Paris, 1863)

(essa é pra gente!!!)

Não escutais já o ruído da tempestade que há de arrebatar o velho mundo e abismar no nada o conjunto das iniquidades terrenas? Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto a vossa fé na sua soberana justiça e que, novos apóstolos da crença revelada pelas proféticas vozes superiores, ides pregar o novo dogma da reencarnação e da elevação dos Espíritos, conforme tenham cumprido, bem ou mal, suas missões e suportado suas provas terrestres.

Não mais vos assusteis! As línguas de fogo estão sobre as vossas cabeças. Ó verdadeiros adeptos do Espiritismo!... sois os escolhidos de Deus! Ide e pregai a palavra divina. É chegada a hora em que deveis sacrificar à sua propagação os vossos hábitos, os vossos trabalhos, as vossas ocupações fúteisIde e pregai. Convosco estão os Espíritos elevados. Certamente falareis a criaturas que não quererão escutar a voz de Deus, porque essa voz as exorta incessantemente à abnegação. Pregareis o desinteresse aos avaros, a abstinência aos dissolutos, a mansidão aos tiranos domésticos, como aos déspotas! Palavras perdidas, eu o sei; mas não importa. Faz-se mister regueis com os vossos suores o terreno onde tendes de semear, porquanto ele não frutificará e não produzirá senão sob os reiterados golpes da enxada e da charrua evangélicas. Ide e pregai!

Ó todos vós, homens de boa-fé, conscientes da vossa inferioridade em face dos mundos disseminados pelo Infinito!... lançai-vos em cruzada contra a injustiça e a iniquidade. Ide e proscrevei esse culto do bezerro de ouro, que cada dia mais se alastra. Ide, Deus vos guia! Homens simples e ignorantes, vossas línguas se soltarão e falareis como nenhum orador fala. Ide e pregai, que as populações atentas recolherão ditosas as vossas palavras de consolação, de fraternidade, de esperança e de paz.

Que importam as emboscadas que vos armem pelo caminho! Somente lobos caem em armadilhas para lobos, porquanto o pastor saberá defender suas ovelhas das fogueiras imoladoras.

Ide, homens, que, grandes diante de Deus, mais ditosos do que Tomé, credes sem fazerdes questão de ver e aceitais os fatos da mediunidade, mesmo quando não tenhais conseguido obtê-los por vós mesmos; ide, o Espírito de Deus vos conduz.

Marcha, pois, avante, falange imponente pela tua fé! Diante de ti os grandes batalhões dos incrédulos se dissiparão, como a bruma da manhã aos primeiros raios-do-Sol nascente.

A fé é a virtude que desloca montanhas, disse Jesus. Todavia, mais pesados do que as maiores montanhas, jazem depositados nos corações dos homens a impureza e todos os vícios que derivam da impureza. Parti, então, cheios de coragem, para removerdes essa montanha de iniquidades que as futuras gerações só deverão conhecer como lenda, do mesmo modo que vós, que só muito imperfeitamente conheceis os tempos que antecederam a civilização pagã.

Sim, em todos os pontos do Globo vão produzir-se as subversões morais e filosóficas; aproxima-se a hora em que a luz divina se espargirá sobre os dois mundos.

Ide, pois, e levai a palavra divina: aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque, principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação terrena, encontrareis fervor e fé. Ide; estes receberão, com hinos de gratidão e louvores a Deus, a santa consolação que lhes levareis, e baixarão a fronte, rendendo-lhe graças pelas aflições que a Terra lhes destina.

Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! o arado está pronto; a terra espera; arai!

Ide e agradecei a Deus a gloriosa tarefa que Ele vos confiou; mas, atenção! entre os chamados para o Espiritismo muitos se transviaram; reparai, pois, vosso caminho e segui a verdade.


Pergunta. – Se, entre os chamados para o Espiritismo, muitos se transviaram, quais os sinais pelos quais reconheceremos os que se acham no bom caminho?

Resposta. – Reconhecê-los-eis pelos princípios da verdadeira caridade que eles ensinarão e praticarão. Reconhecê-los-eis pelo número de aflitos a que levem consolo; reconhecê-los-eis pelo seu amor ao próximo, pela sua abnegação, pelo seu desinteresse pessoal; reconhecê-los-eis, finalmente, pelo triunfo de seus princípios, porque Deus quer o triunfo de Sua lei; os que seguem Sua lei, esses são os escolhidos e Ele lhes dará a vitória; mas Ele destruirá aqueles que falseiam o espírito dessa lei e fazem dela degrau para contentar sua vaidade e sua ambição.



A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – Sinais dos Tempos (de 1869)

São chegados os tempos, dizem-nos de todas as partes, marcados por Deus, em que grandes acontecimentos se vão dar para regeneração da humanidade. (item 1)


(…) o nosso globo, como tudo o que existe, esta submetido à lei do progresso. Ele progride, fisicamente, pela transformação dos elementos que o compõem e, moralmente, pela depuração dos Espíritos encarnados e desencarnados que o povoam. Ambos esses progressos se realizam paralelamente, porquanto o melhoramento da habitação guarda relação com o do habitante. (item 2)


Quando, por conseguinte, a humanidade está madura para subir um degrau, pode dizer-se que são chegados os tempos marcados por Deus, como se pode dizer também que, em tal estação, eles chegam para a maturação dos frutos e sua colheita. (item 2)


A humanidade tem realizado, até ao presente, incontestáveis progressos. Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material. Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral. Não poderiam consegui-lo nem com as suas crenças, nem com as suas instituições antiquadas, restos de outra idade, boas para certa época, suficientes para um estado transitório, mas que, havendo dado tudo o que comportavam, seriam hoje um entrave. Já não é somente de desenvolver a inteligência o de que os homens necessitam, mas de elevar o sentimento e, para isso, faz-se preciso destruir tudo o que superexcite neles o egoísmo e o orgulho. (item 5)


Mas, uma mudança tão radical como a que se está elaborando não pode realizar-se sem comoções. Há, inevitavelmente, luta de ideias. Desse conflito forçosamente se originarão passageiras perturbações, até que o terreno se ache aplanado e restabelecido o equilíbrio. É, pois, da luta das ideias que surgirão os graves acontecimentos preditos e não de cataclismos ou catástrofes puramente materiais. Os cataclismos gerais foram consequência do estado de formação da Terra. Hoje, não são mais as entranhas do planeta que se agitam: são as da humanidade. (item 7)


A humanidade terrestre, tendo chegado a um desses períodos de crescimento, está em cheio, há quase um século, no trabalho da sua transformação, pelo que a vemos agitar-se de todos os lados, presa de uma espécie de febre e como que impelida por invisível força. Assim continuará, até que se haja outra vez estabilizado em novas bases. Quem a observar, então, achá-la-á muito mudada em seus costumes, em seu caráter, nas suas leis, em suas crenças, numa palavra: em todo o seu estado social. (item 9)


É no período que ora se inicia que o Espiritismo florescerá e dará frutos. Trabalhais, portanto, mais para o futuro, do que para o presente. Era, porém, necessário que esses trabalhos se preparassem antecipadamente, porque eles traçam as sendas da regeneração, pela unificação e racionalidade das crenças. Ditosos os que deles aproveitam desde já. Tantas penas se pouparão esses, quantos forem os proveitos que deles aufiram.”(item 9, msg de Doutor Barry)


Quem quer que haja meditado sobre o Espiritismo e suas consequências e não o circunscreva à produção de alguns fenômenos terá compreendido que ele abre à humanidade uma estrada nova e lhe desvenda os horizontes do infinito. Iniciando-a nos mistérios do mundo invisível, mostra-lhe o seu verdadeiro papel na criação, papel perpetuamente ativo, tanto no estado espiritual, como no estado corporal. O homem já não caminha às cegas: sabe donde vem, para onde vai e por que está na Terra. O futuro se lhe revela em sua realidade, despojado dos prejuízos da ignorância e da superstição. Já na se trata de uma vaga esperança, mas de uma verdade palpável, tão certa como a sucessão do dia e da noite. Ele sabe que o seu ser não se acha limitado a alguns instantes de uma existência transitória; que a vida espiritual não se interrompe por efeito da morte; que já viveu e tornará a viver e que nada se perde do que haja ganho em perfeição; em suas existências anteriores depara com a razão do que é hoje e reconhece que: do que ele é hoje, qual se fez a si mesmo, poderá deduzir o que virá a ser um dia. (item 15)


A fraternidade será a pedra angular da nova ordem social; mas, não há fraternidade real, sólida, efetiva, senão assente em base inabalável e essa base é a fé, não a fé em tais ou tais dogmas particulares, que mudam com os tempos e os povos e que mutuamente se apedrejam, porquanto, anatematizando-se uns aos outros, alimentam o antagonismo, mas a fé nos princípios fundamentais que toda a gente pode aceitar e aceitará: Deus, a alma, o futuro, o progresso individual indefinito, a perpetuidade das relações entre os seres. Quando todos os homens estiverem convencidos de que Deus é o mesmo para todos; de que esse Deus, soberanamente justo e bom, nada de injusto pode querer; que não dele, porém dos homens vem o mal, todos se considerarão filhos do mesmo Pai e se estenderão as mãos uns aos outros.

Essa a fé que o Espiritismo faculta e que doravante será o eixo em torno do qual girará o gênero humano, quaisquer que sejam os cultos e as crenças particulares. (item 17)


Somente o progresso moral pode assegurar aos homens a felicidade na Terra, refreando as paixões más; somente esse progresso pode fazer que entre os homens reinem a concórdia, a paz, a fraternidade. (item 19)


A geração que desaparece levará consigo seus erros e prejuízos; a geração que surge, retemperada em fonte mais pura, imbuída de ideias mais sãs, imprimirá ao mundo ascensional movimento, no sentido do progresso moral que assinalará a nova fase da evolução humana. (item 20)


Outro sinal não menos característico do período em que entramos encontra-se na reação que se opera no sentido das ideias espiritualistas; na repulsão instintiva que se manifesta contra as ideias materialistas. (item 22)


A nova geração marchará, pois, para a realização de todas as ideias humanitárias compatíveis com o grau de adiantamento a que houver chegado. Avançando para o mesmo alvo e realizando seus objetivos, o Espiritismo se encontrará com ela no mesmo terreno. Aos homens progressistas se deparará nas ideias espíritas poderosa alavanca e o Espiritismo achará, nos novos homens, espíritos inteiramente dispostos a acolhê-lo. (item 24)



A Gênese, Cap. XVIII ‘São Chegados os Tempos’ – A Geração Nova

A época atual é de transição; confundem-se os elementos das duas gerações. Colocados no ponto intermédio, assistimos à partida de uma e à chegada da outra, já se assinalando cada uma, no mundo, pelos caracteres que lhes são peculiares. (...)

Cabendo-lhe fundar a era do progresso moral, a nova geração se distingue por inteligência e razão geralmente precoces, juntas ao sentimento inato do bem e a crenças espiritualistas, o que constitui sinal indubitável de certo grau de adiantamento anterior. Não se comporá exclusivamente de Espíritos eminentemente superiores, mas dos que, já tendo progredido, se acham predispostos a assimilar todas as ideias progressistas e aptos a secundar o movimento de regeneração. (item 28)