segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Espírito de Verdade

 Casa Espírita Missionários da Luz – Mocidade > 14 anos – 03/12/2021

Estudo Virtual Google Meet

Tema: Espírito de Verdade

Objetivos:

  • Reconhecer o Espírito de Verdade como Jesus, presidindo o advento do Espiritismo;

  • Levar o jovem a refletir se está ouvindo as orientações do Espírito de Verdade, no seu cotidiano.

Bibliografia:

O Livro dos Espíritos, Prolegômenos, Conclusão, item VIII; 3ª parte, perg. 625;

Evang.Seg.Espiritismo, Prefácio; Capítulo VI — O Cristo consolador - ‘Advento do Espírito de verdade’, itens 5 à 7;

O Livro dos Médiuns, 2ª parte: Cap. XXIV – Da identidade dos Espíritos > Provas possíveis de identidade, itens 256 e 256; Cap. XXXI – Dissertações Espíritas, item IX;

RE, Jan/1864, Um caso de possessão - Senhorita Júlia;

RE, Dez/1864, Comunicação Espírita;

Obras Póstumas, 2ª parte ‘Meu Espírito protetor, 1 de dezembro de 1855’; ‘Meu Guia espiritual, 25 de março de 1856’; 9 de agosto de 1863 - IMITAÇÃO DO EVANGELHO;

http://www.mundoespirita.com.br/?materia=quem-e-o-espirito-de-verdade;

As Mil Faces da Realidade Espiritual, Hermínio Miranda, Cap. 5 ‘Quem é o Espírito de Verdade, Guia de Kardec’;

Espírito Emmanuel - Médium: Francisco C. Xavier - Obra: Há Dois Mil Anos.

https://www.youtube.com/watch?v=f9BQi-1c9pU – trecho do áudio da história narrada de Há Dois Mil Anos. 8 minutos o encontro de Públio com Jesus. (vídeo tem 12 minutos ao todo)

https://www.febnet.org.br/blog/geral/colunistas/encontro-com-jesus-ha-dois-mil-anos/

Material – Pesquisa sobre a identidade do Espírito de Verdade

https://www.menti.com/u64v5kuqj5

Desenvolvimento:

  1. Hora da novidade, exercícios de respiração lenta e profunda, e prece inicial.

  1. Motivação Inicial:


Iniciar perguntando se eles sabem quem é Emmanuel.

R: O guia espiritual da mediunidade missionária de Chico Xavier. Foi um senador romano na época de Jesus. Emmanuel conta no livro Há Dois Mil Anos, seu encontro com Jesus.

==> imagina esse momento… a oportunidade de encontrar-se com Jesus, falar com Ele, e perder essa chance de dar novo rumo à vida...


Vamos então, ouvir um aúdio que relata esse
encontro do senador romano Públio Lêntulos com Jesus, relatado por Emmanuel no livro psicografado pelo Chico Xavier: Há Dois Mil Anos. https://www.youtube.com/watch?v=f9BQi-1c9pU (são os 8 minutos iniciais).


- vamos ouvir com atenção. Fechem os olhos pois é uma rádio novela, é interpretado. Se ouvirmos fazendo outras coisas, vamos perder a magia desse encontro com Jesus e as informações importantes que Emmanuel nos traz.

Lembrando que Públio é o próprio Emmanuel, na encarnação onde ele conheceu Jesus.


O que podemos observar nesse encontro? O que chamou a atenção?
- Públio teve vergonha de procurar durante o dia e ser visto pelos outros – orgulho;

- a conversa foi de mente a mente – não houve o problema do idioma deles, que eram diferentes;

- Públio não conseguiu ficar indiferente à emoção da vibração da presença de Jesus: chorou e se ajoelhou… emoção semelhante vemos no relato de Paulo ao ser chamado por Jesus;

- o senador venceu a emoção do momento, com o orgulho de raça e o poder temporário. Perdeu a oportunidade de uma mudança radical em sua vida.

Interessante pensarmos: será que estamos realmente ouvindo Jesus? Ou estamos fazendo como o Públio? Nos emocionamos e depois acabando perdendo a oportunidade desse encontro com Jesus?


  1. Desenvolvimento

Vamos agora saltar 18 séculos no tempo. Vamos para o século XVIII. O que aconteceu de importante no século XVIII? ==> Espiritismo!!!

Vocês sabem quem foi o guia espiritual de Kardec? (O Espírito de Verdade)

Será que ele conversava com o guia espiritual dele?

Como será que eram essas conversas? (através de psicografias; ele perguntava e o Espírito de Verdade respondia.)

Temos essas informações em escritos de Kardec que foram reunidos, após sua desencarnação, no livro Obras Póstumas.

Ler uns trechos de Obras Póstumas, 2ª parte sobre o encontro de Kardec com seu guia espiritual.


MEU GUIA ESPIRITUAL - 25 de março de 1856

(relatar o contexto das batidas na casa de Kardec)

No dia seguinte, como houvesse sessão em casa do Sr. Baudin, narrei o fato e pedi que mo explicassem.

Pergunta — Ouvistes, sem dúvida, o relato que acabo de fazer; poderíeis dizer-me qual a causa daquelas pancadas que se fizeram ouvir com tanta persistência?

Resposta — Era o teu Espírito familiar.

P. — Com que fim foi ele bater daquele modo?

R. — Queria comunicar-se contigo.

P. — Poderíeis dizer-me quem é ele?

R. — Podes perguntar-lhe a ele mesmo, pois que está aqui.


NOTANessa época, ainda se não fazia distinção nenhuma entre as diversas categorias de Espíritos simpáticos. Dava-se-lhes a todos a denominação de Espíritos familiares.


P. — Meu Espírito familiar, quem quer que tu sejas, agradeço-te o me teres vindo visitar. Consentirás em dizer-me quem és?

R. — Para ti, chamar-me-ei A Verdade e todos os meses, aqui, durante um quarto de hora, estarei à tua disposição.


==> imaginem! Conversar com nosso guia espiritual. Com hora marcada! 15 minutos por mês!!!

- se vocês tivessem essa oportunidade, o que fariam? O que perguntariam a ele?

Kardec, nesse dia, perguntou sobre o texto que ele estava escrevendo, quando começaram as batidas:

P. — Ontem, quando bateste, estando eu a trabalhar, tinhas alguma coisa de particular a dizer-me?

R. — O que eu tinha a dizer-te era sobre o trabalho a que te aplicavas; desagradava-me o que escrevias e quis fazer que o abandonasses.


P. — A tua desaprovação era referente ao capítulo que eu escrevia ou ao conjunto do trabalho?

R. — Ao capítulo de ontem; submeto-o ao teu juízo; se o releres, reconhecerás tuas faltas e as corrigirás.

P. — Eu mesmo não me sentia satisfeito com esse capítulo e o refiz hoje. Está melhor?

R. — Está melhor, mas ainda não satisfaz. Relê da 3ª a 30ª linha e com um grave erro depararás.

P. — Rasguei o que escrevera ontem.

R. — Não importa! Isso não impediu que a falta continuasse. Relê e verás.


==> entendemos então, quando Kardec colocou o nome do livro de O Livro dos Espíritos! Tudo era acompanhado pelos Espíritos responsáveis pelo surgimento do Espiritismo.

Depois Kardec continuou a conversa com o Espírito de Verdade:

P. — Poderias vir mais amiúde e não apenas de mês em mês?

R. — Sim, mas não prometo senão uma vez mensalmente, até nova ordem.

P. — Terás animado na Terra alguma personagem conhecida?

R. — Já te disse que, para ti, sou a Verdade; isto, para ti, quer dizer discrição; nada mais saberás a respeito.


Depois Kardec voltou a falar com o Espírito de Verdade em 9 de abril de 1856, falando sobre o texto que Kardec havia corrigido e sobre o trabalho como um todo. Kardec depois, colocou uma nota nessa psicografia:


Compartilhar o texto:


NOTA — A proteção desse Espírito, cuja superioridade eu então estava longe de imaginar, jamais, de fato, me faltou. A sua solicitude e a dos bons Espíritos que agiam sob suas ordens, se manifestou em todas as circunstâncias da minha vida, quer a me remover dificuldades materiais, quer a me facilitar a execução dos meus trabalhos, quer, enfim, a me preservar dos efeitos da malignidade dos meus antagonistas, que foram sempre reduzidos à impotência. Se as tribulações inerentes à missão que me cumpria desempenhar não me puderam ser evitadas, foram sempre suavizadas e largamente compensadas por muitas satisfações morais gratíssimas.


O Espírito de Verdade está presente durante todos os 14 anos do trabalho de Kardec.


- Quem vocês acham que é o Espírito de Verdade? Naquele dia, lá em 1856, Kardec perguntou e não obteve a resposta. Mas pelos escritos posteriores, que vemos na RE e também nas obras básicas, temos essa resposta!

Quem é o Espírito de Verdade?

- passar o link da pesquisa no chat da sala virtual, para saber o quanto eles sabem desse personagem: https://www.menti.com/u64v5kuqj5

  • Se o grupo for pequeno, perguntar direto a cada um.

  • Exibir a nuvem com as respostas dadas, informando/confirmando que o Espírito de Verdade é Jesus.

Nós temos diversas pistas nos textos, e nas próprias mensagens do Espírito der Verdade, nós conseguimos deduzir que se trata mesmo de Jesus.

Existem discussões no movimento espírita sobre essa questão. Uns acham que sim, outros acham que não. Vamos ver os textos para que vocês possam formar a sua opinião pessoal.

Kardec colocou um capítulo no Evangelho, o VI, O Cristo Consolador, onde colocou um item Advento do Espírito de Verdade, com algumas mensagens ditadas por Ele. E no prefácio dessa obra, colocou uma msg do Espírito de Verdade, dizendo que essa msg resumia o objetivo do livro.


  • Compartilhar slides com os trechos:


O Livro dos Espíritos > Prolegômenos

São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, O Espírito de Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, Franklin, Swedenborg, etc., etc. (assinam essa mensagem)

Prolegômenos: 1.Introdução circunstanciada que precede uma obra. 2. Conjunto das noções preliminares de uma ciência


==> aqui vemos que esse Espírito é superior a todos esses citados, pois como vimos na nota de Kardec, o Espirito de Verdade comanda todos eles.

O Livro dos Médiuns, Cap. XXXI – Dissertações Espíritas, item IX;

Nota. Esta comunicação, obtida por um dos melhores médiuns da Sociedade Espírita de Paris, foi assinada com um nome que o respeito nos não permite reproduzir, senão sob todas as reservas, tão grande seria o insigne favor da sua autenticidade e porque dele se há muitas vezes abusado demais, em comunicações evidentemente apócrifas. Esse nome é o de Jesus de Nazaré. De modo algum duvidamos de que ele possa manifestar-se …

Na comunicação acima apenas uma coisa reconhecemos: é a superioridade incontestável da linguagem e das ideias, deixando que cada um julgue por si mesmo se aquele de quem ela traz o nome não a renegaria.

==> o LM foi publicado em 1861, e Kardec coloca uma msg assinada por Jesus, e depois faz essa nota.

==> depois Kardec colocou essa mesma msg no Evangelho, no item Advento do Espírito der Verdade, onde colocou outras mensagens desse Espírito também.

9 de agosto de 1863 - IMITAÇÃO DO EVANGELHO

Pergunta — Que pensais da nova obra em que trabalho neste momento?

(…) Acaba a tua obra e conta com a proteção do teu guia, guia de todos nós, e com o auxílio devotado dos Espíritos que te são mais fiéis e em cujo número digna-te de me incluir sempre.

==> quem é o guia de todos nós? (Eu sou o Caminho, a Verdade, a Vida; LE perg 625: Jesus é o guia e modelo da humanidade)

RE, Jan/1864, Um caso de possessão - Senhorita Júlia

“… que o Espírito de Verdade, que dirige este globo, conferirá quando for merecido. “ (HAHNEMANN.)

==> nessa mensagem de Hahnemann, falando de um caso de possessão, Hahnemann diz que o Espírito de Verdade dirige a Terra!

Vamos agora ver umas mensagens do Espírito de Verdade para procurarmos mais pistas de sua identidade:

Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. VI – O Cristo Consolador, item 5

Venho, como outrora aos transviados filhos de Israel, trazer-vos a verdade e dissipar as trevas. Escutai-me. O Espiritismo, como o fez antigamente a minha palavra, tem de lembrar aos incrédulos que acima deles reina a imutável verdade: o Deus bom, o Deus grande, que faz germinem as plantas e se levantem as ondas. Revelei a doutrina divinal. Como um ceifeiro, reuni em feixes o bem esparso no seio da humanidade e disse: “Vinde a mim, todos vós que sofreis.”(…)


Mas, ingratos, os homens afastaram-se do caminho reto e largo que conduz ao reino de meu Pai (...)


Sinto-me por demais tomado de compaixão pelas vossas misérias, (...); não mistureis o joio com a boa semente, as utopias com as verdades.

==> que pistas encontramos nessa msg do Espírito da Verdade?

- quem veio antes do Espiritismo, aos filhos de Israel?

- quem revelou a doutrina divina?

- quem apresentou Deus como Pai bom? Quem falou do reino do Pai?

Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. VI – O Cristo Consolador, item 6

Estou convosco e meu apóstolo vos instrui. …

- quem teve apóstolos?

- de qual apóstolo o Espirito de Verdade se refere aqui?

Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. VI – O Cristo Consolador, item 7

Sou o grande médico das almas e venho trazer-vos o remédio que vos há de curar. Os fracos, os sofredores e os enfermos são os meus filhos prediletos. Venho salvá-los. Vinde, pois, a mim, vós que sofreis e vos achais oprimidos, e sereis aliviados e consolados.

- quem é o grande médico das almas?

RE, Dez/1864, Comunicação Espírita (msg sobre a publicação do Evang.Seg.Espiritismo)

Um novo livro acaba de aparecer. É uma luz mais brilhante que vem clarear a vossa marcha. Há dezoito séculos vim, por ordem de meu Pai, trazer a palavra de Deus aos homens de vontade. Essa palavra foi esquecida pela maioria, e a incredulidade, o materialismo vieram abafar o bom grão que eu tinha depositado em vossa Terra. (…)

==> quem veio em nome de Deus, 18 séculos antes de 1864, depositar o bom grão?

Há várias moradas na casa de meu Pai, disse-lhes eu há dezoito séculos. Estas palavras, o Espiritismo veio fazê-las compreendidas. E vós, meus bem-amados, (…) bendizei vossos sofrimentos; agradecei a Deus, que vos dá meios de resgatar as dívidas do passado; orai, não com os lábios, mas com o coração melhorado, para vir ocupar melhor lugar na casa de meu Pai, porque os grandes serão humilhados, mas, como sabeis, os pequenos e os humildes serão exaltados. (O Espírito de Verdade )

==> e aqui? Quem disse que há muitas moradas na casa do Pai?

- Diante dessas pistas nesses trechos de msgs do Espírito de Verdade, volto a perguntar?

- pra cada um de vocês, quem é o Espírito de Verdade?

Considerando agora que o Espírito de Verdade é Jesus, vamos ver a linda mensagem do Espírito de Verdade que Kardec colocou como prefácio no Evangelho Segundo o Espiritismo:

Evangelho Segundo o Espiritismo

PREFÁCIO

Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos. ...Há várias moradas na casa de meu Pai, disse-lhes eu há dezoito séculos. Estas palavras, o Espiritismo veio fazê-las compreendidas. E vós, meus bem-amados, trabalhadores que suportais o calor do dia, que credes ter que vos lamentar da injustiça da sorte, bendizei vossos sofrimentos; agradecei a Deus, que vos dá meios de resgatar as dívidas do passado; orai, não com os lábios, mas com o coração melhorado, para vir ocupar melhor lugar na casa de meu Pai, porque os grandes serão humilhados, mas, como sabeis, os pequenos e os humildes serão exaltados. (O Espírito de Verdade )


As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do universo.


Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor! Senhor!...e podereis entrar no reino dos Céus. O ESPÍRITO DE VERDADE

==> vemos nessa belíssima msg, que Jesus fala que a vinda do Espiritismo foi um plano de Deus, que enviou Seus Espíritos, os anjos, por toda a Terra para o advento do Espiritismo! Foi uma ‘invasão organizada’ pois a manifestação dos Espíritos sempre se deu, mas Espíritos como nós, os ‘mortos’ falando com os vivos. Mas nesse comando de Deus, vieram os anjos se comunicarem para trazer a msg da imortalidade, da reencarnação, da lei do progresso, da causa e efeito e todos os outros princípios que a DE nos trouxe!

==> e Jesus nos convida para participarmos desse divino concerto, dessa ação junto dos Espíritos do Senhor!!!! Estamos todos convidados!

==> E Jesus conclui dizendo “irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós” ! Jesus e seus prepostos estão junto de nós!

  1. Conclusão

Kardec fala no LM, no item sobre Identidade dos Espíritos:

256. À medida que os Espíritos se purificam e elevam na hierarquia, os caracteres distintivos de suas personalidades se apagam, de certo modo, na uniformidade da perfeição; nem por isso, entretanto, conservam eles menos suas individualidades. É o que se dá com os Espíritos superiores e os Espíritos puros.

==> nos orienta na continuidade do texto, que a questão da identidade não é relevante, mas sim, as orientações, o teor da mensagem. Assim, embora as msg que vimos deixam claro que é Jesus, pode sim, ser um outro Espírito puro, que fala em nome de Jesus.

De fatro, então, não é importante, mas sim, tudo o que foi dito! Isso som, é a palavra de Jesus que volta até nós, seja diretamente ou por um enviado por Ele!


Fica a reflexão para nós:

Públio Lêntulus, o Emmanuel que conhecemos através do Chico Xavier, esteve pessoalmente com Jesus, e não mudou o rumo de sua vida naquele momento! E nós

Recebemos o convite de Jesus para nos unirmos a Ele e aos anjos, no divino concerto!!!! Vamos aproveitar essa oportunidade ou aguardar mais 1000 anos?

  1. Exercício de respiração profunda e pausada, e prece final.

  1. Avaliação

    Encontro para 3 jovens. Não usei o Mentimeter, nem deu tempo de estudar o prefácio do Evangelho. Elas não sabiam que era o Espírito de Verdade.

  2. Anexos

O Livro dos Médiuns, 2ª parte, Cap. XXIV – Da identidade dos Espíritos > Provas possíveis de identidade

255. A questão da identidade dos Espíritos é uma das mais controvertidas, mesmo entre os adeptos do Espiritismo. (...) Todavia, em muitos casos, a identidade absoluta não passa de questão secundária e sem importância real.

256. À medida que os Espíritos se purificam e elevam na hierarquia, os caracteres distintivos de suas personalidades se apagam, de certo modo, na uniformidade da perfeição; nem por isso, entretanto, conservam eles menos suas individualidades. É o que se dá com os Espíritos superiores e os Espíritos puros.

(...) O mesmo ocorre todas as vezes que um Espírito superior se comunica espontaneamente, sob o nome de uma personagem conhecida. Nada prova que seja exatamente o Espírito dessa personagem; porém, se ele nada diz que desminta o caráter desta última, há presunção de ser o próprio e, em todos os casos, se pode dizer que, se não é ele, é um Espírito do mesmo grau de elevação, ou talvez até um enviado seu. Em resumo, a questão de nome é secundária, podendo-se considerar o nome como simples indício da categoria que ocupa o Espírito na escala espírita.


A questão da identidade é, pois, como dissemos, quase indiferente, quando se trata de instruções gerais, uma vez que os melhores Espíritos podem substituir-se mutuamente, sem maiores consequências. Os Espíritos superiores formam, por assim dizer, um todo coletivo, cujas individualidades nos são, com exceções raras, desconhecidas. Não é a pessoa deles o que nos interessa, mas o ensino que nos proporcionam. Ora, desde que esse ensino é bom, pouco importa que aquele que o deu se chame Pedro, ou Paulo. Deve ele ser julgado pela sua qualidade e não pelas suas insígnias.


Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. VI – O Cristo Consolador

5. Venho, como outrora aos transviados filhos de Israel, trazer-vos a verdade e dissipar as trevas. Escutai-me. O Espiritismo, como o fez antigamente a minha palavra, tem de lembrar aos incrédulos que acima deles reina a imutável verdade: o Deus bom, o Deus grande, que faz germinem as plantas e se levantem as ondas. Revelei a doutrina divinal. Como um ceifeiro, reuni em feixes o bem esparso no seio da humanidade e disse: “Vinde a mim, todos vós que sofreis.”

Mas, ingratos, os homens afastaram-se do caminho reto e largo que conduz ao reino de meu Pai e enveredaram pelas ásperas sendas da impiedade. Meu Pai não quer aniquilar a raça humana; quer que, ajudando-vos uns aos outros, mortos e vivos, isto é, mortos segundo a carne, porquanto não existe a morte, vos socorrais mutuamente, e que se faça ouvir não mais a voz dos profetas e dos apóstolos, mas a dos que já não vivem na Terra, a clamar: Orai e crede! pois que a morte é a ressurreição, sendo a vida a prova buscada e durante a qual as virtudes que houverdes cultivado crescerão e se desenvolverão como o cedro.


Homens fracos, que compreendeis as trevas das vossas inteligências, não afasteis o facho que a clemência divina vos coloca nas mãos para vos clarear o caminho e reconduzir-vos, filhos perdidos, ao regaço de vosso Pai.


Sinto-me por demais tomado de compaixão pelas vossas misérias, pela vossa fraqueza imensa, para deixar de estender mão socorredora aos infelizes transviados que, vendo o céu, caem nos abismos do erro. Crede, amai, meditai sobre as coisas que vos são reveladas; não mistureis o joio com a boa semente, as utopias com as verdades.


Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo. No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram. Eis que do além-túmulo, que julgáveis o nada, vozes vos clamam: “Irmãos! nada perece. Jesus Cristo é o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade.” —O Espírito de Verdade.(Paris, 1860.)


6. ...Estou convosco e meu apóstolo vos instrui. …


7. Sou o grande médico das almas e venho trazer-vos o remédio que vos há de curar. Os fracos, os sofredores e os enfermos são os meus filhos prediletos. Venho salvá-los. Vinde, pois, a mim, vós que sofreis e vos achais oprimidos, e sereis aliviados e consolados. Não busqueis alhures a força e a consolação, pois que o mundo é impotente para dá-las. Deus dirige um supremo apelo aos vossos corações, por meio do Espiritismo. Escutai-o. Extirpados sejam de vossas almas doloridas a impiedade, a mentira, o erro, a incredulidade. São monstros que sugam o vosso mais puro sangue e que vos abrem chagas quase sempre mortais. Que no futuro, humildes e submissos ao Criador, pratiqueis a sua lei divina. Amai e orai; sede dóceis aos Espíritos do Senhor; invocai-o do fundo de vossos corações. Ele, então, vos enviará o seu Filho bem-amado, para vos instruir e dizer estas boas palavras: Eis-me aqui; venho até vós, porque me chamastes. — O Espírito de Verdade. (Bordéus, 1861.)


O Livro dos Espíritos, Conclusão, item VIII

Jesus veio mostrar aos homens o caminho do verdadeiro bem. Por que, tendo-o enviado para fazer lembrada sua lei que estava esquecida, não haveria Deus de enviar hoje os Espíritos, a fim de a lembrarem novamente aos homens, e com maior precisão, quando eles a olvidam, para tudo sacrificar ao orgulho e à cobiça?


RE, Dez/1864, Comunicação Espírita

Um novo livro acaba de aparecer. É uma luz mais brilhante que vem clarear a vossa marcha. Há dezoito séculos vim, por ordem de meu Pai, trazer a palavra de Deus aos homens de vontade. Essa palavra foi esquecida pela maioria, e a incredulidade, o materialismo vieram abafar o bom grão que eu tinha depositado em vossa Terra. Hoje, por ordem do Eterno, os bons Espíritos, seus mensageiros, vêm a todos os pontos da Terra fazer ouvir a trombeta retumbante. Escutai suas vozes; elas são destinadas a mostrar-vos o caminho que conduz aos pés do Pai celeste. Sede dóceis aos seus ensinamentos; os tempos preditos são chegados; todas as profecias serão cumpridas. (…)

Há várias moradas na casa de meu Pai, disse-lhes eu há dezoito séculos. Estas palavras, o Espiritismo veio fazê-las compreendidas. E vós, meus bem-amados, trabalhadores que suportais o calor do dia, que credes ter que vos lamentar da injustiça da sorte, bendizei vossos sofrimentos; agradecei a Deus, que vos dá meios de resgatar as dívidas do passado; orai, não com os lábios, mas com o coração melhorado, para vir ocupar melhor lugar na casa de meu Pai, porque os grandes serão humilhados, mas, como sabeis, os pequenos e os humildes serão exaltados.

O Espírito de Verdade


Há Dois Mil Anos, Chico Xavier/Emmanuel

trecho do encontro do senador Públius Lentulus com o Jesus ao lado do lago de Genesaré.

Das águas mansas do lago de Genesaré parecia-lhe emanar suavíssimos perfumes, casando-se deliciosamente ao aroma agreste da folhagem.

Foi nesse instante que, com o espírito como se estivesse sob o império de estranho e suave magnetismo, ouviu passos brandos de alguém que buscava aquele sítio.

Diante de seus olhos ansiosos, estacara personalidade inconfundível e única. Tratava-se de um homem ainda moço, que deixava transparecer nos olhos, profundamente misericordiosos, uma beleza suave e indefinível. Longos e sedosos cabelos molduravam-lhe o semblante compassivo, como se fossem fios castanhos, levemente dourados por luz desconhecida. Sorriso divino, revelando ao mesmo tempo bondade imensa e singular energia, irradiava da sua melancólica e majestosa figura uma fascinação irresistível.

Públio Lentulus não teve dificuldade em identificar aquela criatura impressionante, mas, no seu coração marulhavam ondas de sentimentos que, até então, lhe eram ignorados. Nem a sua apresentação a Tibério, nas magnificências de Capri, lhe havia imprimido tal emotividade ao coração. Lágrimas ardentes rolaram- lhe dos olhos, que raras vezes haviam chorado, e força misteriosa e invencível fê-lo ajoelhar-se na relva lavada em luar. Desejou falar, mas tinha o peito sufocado e opresso. Foi quando, então, num gesto de doce e soberana bondade, o meigo Nazareno caminhou para ele, qual visão concretizada de um dos deuses de suas antigas crenças, e, pousando carinhosamente a destra em sua fronte, exclamou em linguagem encantadora, que Públio entendeu perfeitamente, como se ouvisse o idioma patrício, dando-lhe a inesquecível impressão de que a palavra era de espírito para espírito, de coração para coração:

- Senador, porque me procuras? - e, espraiando o olhar profundo na paisagem, como se desejasse que a sua voz fosse ouvida por todos os homens do planeta, rematou com serena nobreza: - Fora melhor que me procurasses publicamente e na hora mais clara do dia, para que pudesses adquirir, de uma só vez e para toda a vida, a lição sublime da fé e da humildade... Mas, eu não vim ao mundo para derrogar as leis supremas da Natureza e venho ao encontro do teu coração desfalecido!.

Públio Lentulus nada pôde exprimir, além das suas lágrimas copiosas, pensando amargamente na filhinha; mas o profeta, como se prescindisse das suas palavras articuladas, continuou:

- Sim... não venho buscar o homem de Estado, superficial e orgulhoso, que só os séculos de sofrimento podem encaminhar ao regaço de meu Pai; venho atender às súplicas de um coração desditoso e oprimido e, ainda assim, meu amigo, não é o teu sentimento que salva a filhinha leprosa e desvalida pela ciência do mundo, porque tens ainda a razão egoísta e humana; é, sim, a fé e o amor de tua mulher, porque a fé é divina... Basta um raio só de suas energias poderosas para que se pulverizem todos os monumentos das vaidades da Terra...

Comovido e magnetizado, o senador considerou, intimamente, que seu espírito pairava numa atmosfera de sonho, tais as comoções desconhecidas e imprevistas que se lhe represavam no coração, querendo crer que os seus sentidos reais se achavam travados num jogo incompreensível de completa ilusão.

- Não, meu amigo, não estás sonhando... - exclamou meigo e enérgico o Mestre, adivinhando-lhe os pensamentos. - Depois de longos anos de desvio do bom caminho, pelo caminho dos erros clamorosos, encontras, hoje, um ponto de referência para a regeneração de toda a tua vida.

Está, porém, no teu querer o aproveitá-lo agora, ou daqui a alguns milênios... Se o desdobramento da vida humana está subordinado às circunstâncias, és obrigado a considerar que elas existem de toda a natureza, cumprindo às criaturas a obrigação de exercitar o poder da vontade e do sentimento, buscando aproximar seus destinos das correntes do bem e do amor aos semelhantes.

Soa para teu espírito, neste momento, um minuto glorioso, se conseguires utilizar tua liberdade para que seja ele, em teu coração, doravante, um cântico de amor, de humildade e de fé, na hora indeterminável da redenção, dentro da eternidade...

Mas, ninguém poderá agir contra a tua própria consciência, se quiseres desprezar indefinidamente este minuto ditoso!

Pastor das almas humanas, desde a formação deste planeta, há muitos milênios venho procurando reunir as ovelhas tresmalhadas, tentando trazer-lhes ao coração as alegrias eternas do reinado de Deus e de sua justiça!...

Públio fitou aquele homem extraordinário, cujo desassombro provocava admiração e espanto.

- Humildade? Que credenciais lhe apresentava o profeta para lhe falar assim, a ele senador do Império, revestido de todos os poderes diante de um vassalo?

Num minuto, lembrou a cidade dos césares, coberta de triunfos e glórias, cujos monumentos e poderes acreditava, naquele momento, fossem imortais.

- Todos os poderes do teu império são bem fracos e todas as suas riquezas bem miseráveis...

- As magnificências dos césares são ilusões efêmeras de um dia, porque todos os sábios, como todos os guerreiros, são chamados no momento oportuno aos tribunais da justiça de meu Pai que está no Céu. Um dia, deixarão de existir as suas águias poderosas, sob um punhado de cinzas misérrimas. Suas ciências se transformarão ao sopro dos esforços de outros trabalhadores mais dignos do progresso, suas leis iníquas serão tragadas no abismo tenebroso destes séculos de impiedade, porque só uma lei existe e sobreviverá aos escombros da inquietação do homem - a lei do amor, instituída por meu Pai, desde o princípio da criação...

- Agora, volta ao lar, consciente das responsabilidades do teu destino...

Se a fé instituiu na tua casa o que consideras a alegria com o restabelecimento de tua filha, não te esqueças que isso representa um agravo de deveres para o teu coração, diante de nosso Pai, Todo-Poderoso!...

O senador quis falar, mas a voz tornara-se-lhe embargada de comoção e de profundos sentimentos.

Desejou retirar-se, porém, nesse momento, notou que o profeta de Nazaré se transfigurava, de olhos fitos no céu...

Aquele sítio deveria ser um santuário de suas meditações e de suas preces, no coração perfumado da Natureza, porque Públio adivinhou que ele orava intensamente, observando que lágrimas copiosas lhe lavavam o rosto, banhado então por uma claridade branda, evidenciando a sua beleza serena e indefinível melancolia...

Deviam ser vinte e uma horas.

Leve aragem acariciava os cabelos do senador e a Lua entornava seus raios argênteos no espelho carinhoso e imenso das águas.

(Espírito Emmanuel - Médium: Francisco C. Xavier - Obra: Há Dois Mil Anos...)


Nenhum comentário:

Postar um comentário