terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Ide e pregai


Casa Espírita Missionários da Luz – Pré e Mocidade                      > 12 anos          30/11/2018

Tema:   Ide e pregai

Objetivos:
Refletir sobre a responsabilidade de todos nós, cristãos, na construção do mundo de regeneração.     

Bibliografia:
- Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. XX, item ‘Missão dos Espíritas
Material: cópias do texto Missão dos Espíritas - uma para cada jovem.

1.    Hora da novidade, exercícios de respiração profunda e pausada e prece inicial
Perguntar o que acharam do Encontro da Família do último domingo.

2.    Motivação inicial:

Dar uma cópia do texto de Erasto para cada um, orientando que leremos juntos o texto, ficando cada um com um parágrafo. Porém, cada vez que aparecer a palavra ‘IDE’ todos devem ler juntos essa palavra.
Exercício de atenção!

Ao término da leitura, perguntar: Quantas vezes aparece a palavra Ide no texto de Erasto?
- 12 vezes!

3.    Desenvolvimento - Exposição dialogada:

De quê que esse texto fala? O que Erasto nos chama a realizar?

Não escutais já o ruído da tempestade que há de arrebatar o velho mundo e abismar no nada o conjunto das iniquidades terrenas?
ð  Que tempestade é essa que se aproxima?
A da transformação do nosso planeta de Provas e Expiações em Regeneração. O velho mundo, é o das ilusões da materialidade, das coisas terrenas que não estão associadas à renovação espiritual de cada um.

ides pregar o novo dogma da reencarnação e da elevação dos Espíritos, conforme tenham cumprido, bem ou mal, suas missões e suportado suas provas terrestres.
ètemos o 1º chamamento: ide e pregai. Para quem ele fala?
Para nós! Somos ou não os “novos apóstolos da crença revelada pelas proféticas vozes superiores”? Que vozes proféticas são essas? A dos Espíritos! Ele fala para nós, os espíritas!

O que será que ele quis dizer com isso? Como vamos pregar a DE?

Erasto foi um dos primeiros cristãos. Era discípulo de Paulo em suas viagens missionárias; membro ativo da comunidade cristã da cidade de Corinto. Estava trabalhando por Jesus, naqueles primeiros anos após a morte de Jesus, e estava trabalhando com Kardec, na codificação. Tem diversas mensagens de Erasto no Livro dos Médiuns e também no Evangelho.

Então, se ele nos chama a um trabalho, nesse fase de transição planetária, precisamos prestar atenção!

4.    Fixação de conteúdo:

Vamos nos dividir em 2 ou 3 grupinhos para discutir a melhor forma de atender a esse chamado de Erasto.
Ele nos falou 12 vezes: vá e pregue a msg de Jesus e a DE!
Como podemos fazer isso? Se ele nos chamou para a tarefa, é porque é possível!
Como fazer?

- Na apresentação dos grupos, orientar se necessário.

5.    Conclusão

Vemos que no final da mensagem, Erasto nos dá uma dica:

“Ide, pois, e levai a palavra divina: aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque, principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação terrena, encontrareis fervor e fé. Ide; estes receberão, com hinos de gratidão e louvores a Deus, a santa consolação que lhes levareis, e baixarão a fronte, rendendo-lhe graças pelas aflições que a Terra lhes destina.”

èdevemos divulgar a DE e o Evangelho de Jesus, na ação no bem, pela vivência no bem. Todos nós temos contato com a dor alheia! São tantas dificuldades que vemos nas famílias, na sociedade de modo geral. Tanta revolta, indiferença, desilusão, desesperança.
Como Erasto disse no início: “bendizei o Senhor, vós que haveis posto a vossa fé na sua soberana justiça”. Nós somos bem aventurados por termos acesso a essas verdades trazidas por Jesus, na ótica da DE.
É uma obrigação nossa, levar essa mensagem de esperança a quem desconhece o motivo da dor, do sofrimento, o objetivo da vida na Terra. Se nós, que sabemos não atuarmos, quem fará?

Vivamos buscando renovação íntima, cuidando dos pensamentos perturbadores, para sermos instrumentos de Deus, nesse período de transição.


6.    Prece final e passes.
7.    Avaliação:
Aula para 4 jovens com participação e interesse. Falamos também de problemas com drogas com refletíamos sobre como poderemos pregar o Evangelho e a DE no nosso cotidiano. A discussão foi feita em roda de conversa; não fizemos o trabalho em grupos. Falamos da responsabilidade deles, jovens de classe média, com família estruturada que dá todas as condições para eles estudarem: esses recursos foram dados na presente encarnação para melhor poderem servir a Deus!

8.    Anexos


Evangelho Seg.Espiritismo, Cap. XX item 4 ‘MISSÃO DOS ESPÍRITAS’
Não escutais já o ruído da tempestade que há de arrebatar o velho mundo e abismar no nada o conjunto das iniquidades terrenas? Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto a vossa fé na sua soberana justiça e que, novos apóstolos da crença revelada pelas proféticas vozes superiores, ides pregar o novo dogma da reencarnação e da elevação dos Espíritos, conforme tenham cumprido, bem ou mal, suas missões e suportado suas provas terrestres.
Não mais vos assusteis! As línguas de fogo estão sobre as vossas cabeças. Ó verdadeiros adeptos do Espiritismo!... sois os escolhidos de Deus! Ide e pregai a palavra divina. É chegada a hora em que deveis sacrificar à sua propagação os vossos hábitos, os vossos trabalhos, as vossas ocupações fúteis. Ide e pregai. Convosco estão os Espíritos elevados. Certamente falareis a criaturas que não quererão escutar a voz de Deus, porque essa voz as exorta incessantemente à abnegação. Pregareis o desinteresse aos avaros, a abstinência aos dissolutos, a mansidão aos tiranos domésticos, como aos déspotas! Palavras perdidas, eu o sei; mas não importa. Faz-se mister regueis com os vossos suores o terreno onde tendes de semear, porquanto ele não frutificará e não produzirá senão sob os reiterados golpes da enxada e da charrua evangélicas. Ide e pregai!
Ó todos vós, homens de boa-fé, conscientes da vossa inferioridade em face dos mundos disseminados pelo Infinito!... lançai-vos em cruzada contra a injustiça e a iniqüidade. Ide e proscrevei esse culto do bezerro de ouro, que cada dia mais se alastra. Ide, Deus vos guia! Homens simples e ignorantes, vossas línguas se soltarão e falareis como nenhum orador fala. Ide e pregai, que as populações atentas recolherão ditosas as vossas palavras de consolação, de fraternidade, de esperança e de paz.
Que importam as emboscadas que vos armem pelo caminho! Somente lobos caem em armadilhas para lobos, porquanto o pastor saberá defender suas ovelhas das fogueiras imoladoras.
Ide, homens, que, grandes diante de Deus, mais ditosos do que Tomé, credes sem fazerdes questão de ver e aceitais os fatos da mediunidade, mesmo quando não tenhais conseguido obtê-los por vós mesmos; ide, o Espírito de Deus vos conduz.
Marcha, pois, avante, falange imponente pela tua fé! Diante de ti os grandes batalhões dos incrédulos se dissiparão, como a bruma da manhã aos primeiros raios-do-Sol nascente.
A fé é a virtude que desloca montanhas, disse Jesus. Todavia, mais pesados do que as maiores montanhas, jazem depositados nos corações dos homens a impureza e todos os vícios que derivam da impureza. Parti, então, cheios de coragem, para removerdes essa montanha de iniquidades que as futuras gerações só deverão conhecer como lenda, do mesmo modo que vós, que só muito imperfeitamente conheceis os tempos que antecederam a civilização pagã.
Sim, em todos os pontos do Globo vão produzir-se as subversões morais e filosóficas; aproxima-se a hora em que a luz divina se espargirá sobre os dois mundos.
Ide, pois, e levai a palavra divina: aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque, principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação terrena, encontrareis fervor e fé. Ide; estes receberão, com hinos de gratidão e louvores a Deus, a santa consolação que lhes levareis, e baixarão a fronte, rendendo-lhe graças pelas aflições que a Terra lhes destina.
Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! o arado está pronto; a terra espera; arai!
Ide e agradecei a Deus a gloriosa tarefa que Ele vos confiou; mas, atenção! entre os chamados para o Espiritismo muitos se transviaram; reparai, pois, vosso caminho e segui a verdade.
Pergunta. – Se, entre os chamados para o Espiritismo, muitos se transviaram, quais os sinais pelos quais reconheceremos os que se acham no bom caminho?
Resposta. – Reconhecê-los-eis pelos princípios da verdadeira caridade que eles ensinarão e praticarão. Reconhecê-los-eis pelo número de aflitos a que levem consolo; reconhecê-los-eis pelo seu amor ao próximo, pela sua abnegação, pelo seu desinteresse pessoal; reconhecê-los-eis, finalmente, pelo triunfo de seus princípios, porque Deus quer o triunfo de Sua lei; os que seguem Sua lei, esses são os escolhidos e Ele lhes dará a vitória; mas Ele destruirá aqueles que falseiam o espírito dessa lei e fazem dela degrau para contentar sua vaidade e sua ambição. – Erasto, anjo--da-guarda do médium. (Paris, 1863.)

Erasto, foi discípulo de Paulo.(Evang.Seg.Espiritismo, Cap I, item 11)

“Com o respeitável nome de Erasto, cujas comunicações traziam sempre o "cunho incontestável de profundeza e lógica", como disse o próprio Codificador, encontramos duas personalidades, em momentos diferentes da História da Humanidade. A primeira, afirmativa do próprio Codificador, é de que ele seria discípulo de Paulo de Tarso (O livro dos médiuns, cap. V, item 98). A afirmativa tem procedência. Na segunda epístola a Timóteo, escrita quando prisioneiro em Roma, relata o Apóstolo dos Gentios: "Erasto ficou em Corinto." ( IV,20). Segundo consta na epístola aos Romanos, na saudação final, este mesmo Erasto tinha cargo na cidade, pois se encontra no cap. 16, vers. 23: "Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade". Em Atos dos Apóstolos (XIX,22) lemos que Paulo enviou à Macedônia "...dois dos que lhe assistiam, Timóteo e Erasto..." , enquanto ele próprio, Paulo, permaneceu na Ásia. Interessante observar a proximidade dos dois discípulos de Paulo, pois em O Livro dos Médiuns, cap. XIX, encontramos longa mensagem assinada por ambos, a respeito do papel do médium nas comunicações (item 225). Juntos no século I da era cristã, juntos na tarefa da Codificação.” (http://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2012/06/Erasto.pdf)