domingo, 10 de março de 2019

Arte e Evolução


Casa Espírita Missionários da Luz
Mocidade                  > 13 anos                              08/03/2019

Tema: Arte e Evolução

Objetivo:
- Refletir sobre o efeito da música sublime na harmonização do ser.


Bibliografia:
- Os Mensageiros, André Luiz, Cap 31 e 32;
- O Nosso Lar, André Luiz/Chico Xavier, Cap. 3 e 45;
- Conduta Espírita, André Luiz/Waldo Vieira, item ‘Perante a Arte’;
- O Consolador, Emmanuel, Chico Xavier, pergs 161,167, 168 e 170;
- Caminho, Verdade e Vida, Emmanuel/ Chico Xavier, Cap. 151Mocidade;
- Atualidade do Pensamento Espírita, Vianna de Carvalho/Divaldo Franco, pergs 135, 136 , 144 e 149;
- Amor, Imbatível Amor – Joanna de Ângelis/Divaldo Franco, Item ‘Comportamentos Autodestrutivos’;
- Adolescência e Vida – Joanna de Ângelis/Divaldo Franco, Cap. 7 – O Adolescente, o amor e a paixão.

Material: Levar as músicas para tocar na sala:
-       Música We Will rock you – Queen: - https://www.youtube.com/watch?v=lD8mbTlct_E (2:05 min)
-       Sonata ao Luar, de Beethoven
-       Levar um apanhador de sonhos

Desenvolvimento:
1.            Hora da novidade, exercícios de respiração profunda e prece Inicial.
2.            Atividade de sensibilização para o tema:
Pedir que fiquem de olhos fechados, e ouçam a música que será tocada.
- colocar Sonata ao Luar de Beethoven (tem 5 min; colocar só 2 minutos).

Roda de conversa:
- quem conhece essa música?
"Sonata para piano n.º 14", Composição de Ludwig van Beethoven em 1801. Recebeu o apelido de Sonata ao Luar, em 1832, 5 anos depois da morte de Beethoven.
- o que vocês sentiram ao ouvir a música?
- como o corpo reagiu ao som dos acordes?

Vamos agora ouvir outra música. Fechem os olhos e sintam.
            - colocar a música do Queen: We Will Rock You

- quem sabe que música é essa?
            We Will Rock You, da banda Queen, lançada em 07/10/1977, no álbum ‘News of the World’. Cantada por Freddie Mercury.
- o que vocês sentiram ao ouvir a música?
- como o corpo reagiu ao som dos acordes?
- que diferenças sentimos em nós entre uma música e outra? Qual música nos traz mais serenidade?

3.            Nosso tema hoje é ‘Arte e Evolução’. Vamos refletir sobre o papel da Arte no mundo.
Vamos começar com uma discussão 2-a-2: qual a função da Arte, sob o enfoque da evolução espiritual?  (dar 2 min para a discussão).
            - pedir que as duplas relatem suas reflexões. (seguir com o estudo, fazendo ligações com as respostas dos jovens sempre que estiverem de acordo com a reflexão teórica)

4.            Vamos ver o que alguns Espíritos falaram desse assunto.
Citar alguns trechos de André Luiz em Nosso Lar, contextualizando:
André Luiz em Nosso Lar, Cap.3:
- André Luiz tinha sido acabado de ser recolhido do Umbral, já quase na hora da oração coletiva que acontece todo fim de tarde em Nosso Lar, quando ele relata (ler os trechos):

“ (...) divina melodia penetrou quarto a dentro, parecendo suave colmeia de sons a caminho das esferas superiores.”
“Aquelas notas de maravilhosa harmonia atravessavam-me o coração.”

Mesmo ainda fraco, André Luiz quis acompanhar o enfermeiro na oração. Ele relata:

“Aquela melodia renovava-me as energias profundas”
“ (...) setenta e duas figuras começaram a cantar harmonioso hino, repleto de indefinível beleza. (...) O cântico celeste constituía-se de notas angelicais, de sublimado reconhecimento.”
“Cariciosa música, em seguida, respondia aos louvores, procedente talvez de esferas distantes. Foi aí que abundante chuva de flores azuis se derramou sobre nós; mas, se fixávamos os miosótis celestiais, não conseguíamos detê-los nas mãos. As corolas minúsculas desfaziam-se de leve, ao tocar-nos a fronte, experimentando eu, por minha vez, singular renovação de energias ao contacto das pétalas fluídicas que me balsamizavam o coração.

- vemos aqui, a música, o canto, sendo utilizados na prece, na rogativa/agradecimento e também como resposta dos planos superiores, acompanhada de pequenas flores azuis que caiu em forma de chuva, auxiliando as pessoas de lá, com renovação de energias.

- Um outro ponto importante, que fala da música nesse livro, está no capítulo 45:

André Luiz em Nosso Lar, Cap.45 ‘No Campo da Música’:
Com efeito, depois de atravessarmos alamedas risonhas, onde cada flor parecia possuir seu reinado particular, comecei a ouvir maravilhosa harmonia dominando o céu. Na Terra, há pequenos grupos para o culto da música fina e multidões para a música regional. Ali, contudo, verificava-se o contrário. O centro do campo estava repleto. (...)
Grandemente maravilhado com a música sublime, ouvi Lísias dizer:
- Nossos orientadores, em harmonia, absorvem raios de inspiração nos planos mais altos, e os grandes compositores terrestres são, por vezes, trazidos às esferas como a nossa, onde recebem algumas expressões melódicas, transmitindo-as, por sua vez, aos ouvidos humanos, adornando os temas recebidos com o gênio que possuem. O Universo, André, está cheio de beleza e sublimidade. O facho resplendente e eterno da vida procede originariamente de Deus.

- o que ele quis dizer com ‘música fina’ e ‘música regional’? 
Ele percebeu que a proporção dos que preferiam a música fina era o contrário do que vemos aqui na Terra, entre os encarnados.
- Onde temos aqui as multidões acompanhando as músicas?
            - normalmente nos grandes shows populares. Lá em Nosso Lar essa preferência musical está invertida. A maioria prefere a música fina.
Por que será?
- A música fina está relacionada com a ligação com o plano espiritual superior, com Deus. Os frequentadores do Campo da Música (não eram todos os moradores de Nosso Lar que podiam entrar no Campo da Música) já tinham adquirido essa percepção; a música os alimentava.
- Ele relata que grandes compositores terrestres iam lá, em desdobramento espiritual, receber a inspiração para suas futuras composições.

- Vocês conseguem imaginar quais grandes compositores terrestres devem ter ido lá se inspirar? Ou, quais serão os que atualmente vão em colônias como Nosso Lar pegar inspiração?
- Como poderíamos perceber em qual fonte de inspiração os compositores vão buscar no plano espiritual?
            - Citar aqui as fontes de inspiração nas regiões inferiores do PE.
Vejamos agora, o que diz Emmanuel. Quem sabe quem é Emmanuel? (explicar caso não saibam ou tenham informações distorcidas). Ele tem um livro ‘O Consolador’, que também é de perguntas e respostas, assim como o LE.

Perg. 161 Que é arte?
-A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das criaturas.
Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da alma.
O artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o Infinito e abrindo, em todos os caminhos a ânsia dos corações para Deus, nas suas manifestações supremas de beleza, de sabedoria, de paz e de amor.

- então, qual é o objetivo da verdadeira arte? “tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o Infinito e abrindo, em todos os caminhos a ânsia dos corações para Deus”
- quem é o verdadeiro artista?  “médium” das belezas eternas”!

Pergunta:
- quem pode citar um verdadeiro artista atualmente? Como podemos reconhecer um verdadeiro artista?

Emmanuel ainda traz uma outra informação importante: (fazer a pergunta e deixar que respondam, acrescentando: como o artista pode se transformar em instrumento do mal?)

170 Com tantas qualidades superiores para o bem, pode o artista de gênio transformar-se em instrumento do mal?
-O homem genial é como a inteligência que houvesse atingido as mais perfeitas condições de técnica realizadora; essa aquisição, porém, não o exime da necessidade de progredir moralmente, iluminando a fonte do coração.
Em vista de numerosas organizações geniais, não haverem alcançado a culminância de sentimento é que temos contemplado, muitas vezes, no mundo, os talentos mais nobres encarcerados em tremendas obsessões, ou anulados em desvios dolorosos, porquanto, acima de todas as conquistas propriamente materiais, a criatura deve colocar a fé, como o eterno ideal divino.
            - como podemos reconhecer um desvio doloroso?

Vamos ver o que diz a música ‘We Will rock you’?
Nós Vamos Sacudir Você

Companheiro, você é um garoto que faz um barulhão
Tocando na rua, vai ser um grande homem algum dia
Você tem lama no seu rosto
Sua grande desgraça
Chutando sua lata por todo lugar
Cantando
Nós vamos sacudir você!

Companheiro, você é cara jovem, cara difícil
Gritando na rua, vai enfrentar o mundo algum dia
Você tem sangue no seu rosto
Sua grande desgraça
Agitando sua bandeira por todo lugar
Nós vamos sacudir você!
Cante!



Companheiro, você é um homem velho, homem pobre
Suplicando com seus olhos vai causar
Alguma paz algum dia
Você tem lama no seu rosto
Grande desgraça
É melhor alguém te colocar de volta no seu lugar
Nós vamos sacudir você!
Cante!
Nós vamos sacudir você!
Tudo bem!



Vamos ver a opinião de mais um Espírito, agora pela psicografia de Divaldo Franco:
Atualidade do Pensamento Espírita – Vianna de Carvalho/Divaldo Franco

Perg. 135) O que define o estilo de cada artista, quer na Música, literatura, pintura, etc. ?
Cada Espírito vê e sente a Arte com as suas características e expressões evolutivas, porquanto, à medida que o ser progride, amplia a capacidade de perceber a beleza e senti-la nas suas várias expressões.

- como em tudo na vida, levamos ao mundo, o que trazemos dentro de nós. Não podemos dar o que ainda não conseguimos conquistar!

Na perg 136 desse livro, Vianna fala:

a Música, em razão da sua capacidade de penetrar o imo do ser, graças às suas melodias que arrebatam e sensibilizam, despertando o divino no humano, parece ser o veículo que mais aproxima a criatura do seu Criador...
 - a mesma coisa que vimos em André Luiz. A música tem repercussões em nosso mundo íntimo; influencia nossas vibrações. Então, tanto pode nos ascender aos planos elevados, como nos rebaixar às vibrações mais inferiores.

Fechar com essa resposta de Vianna:
Perg. 144) Qual a destinação da Arte no mundo e de que maneira ela evolui?
 A Arte tem como meta materializar a beleza invisível de todas as coisas, despertando a sensibilidade e aprofundando o senso de contemplação, promovendo o ser humano aos páramos da Espiritualidade. Graças à sua contribuição, o bruto se acalma, o primitivo se comove, o agressivo se apazigua, o enfermo se renova, o infeliz se redescobre, e todos os outros indivíduos ascendem na direção dos Grandes Cimos. A Arte permanecerá no mundo assinalando as fases de progresso ou de tormento das criaturas, porém oferecendo sempre harmonia e trabalhando os sentimentos elevados.
Desse modo, evolui do grotesco ao transcendental, aprimorando as qualidades e tendências, que estarão sempre à frente dos comportamentos de cada época. Lentamente, e às vezes com rapidez, a Arte se desenvolve alterando os conteúdos e melhor qualificando a mensagem de que se faz portadora.

5.            Conclusão
O que podemos concluir com essas reflexões sobre a arte? Sobre a música?
Em que isso afeta a vida de cada um de nós?

A música é um excelente instrumento para nos trazer paz, serenidade, lucidez. Nos auxiliar a bem direcionar nossas energias.

- Nossos pensamentos e sentimentos, nos unem aos que, tanto aqui, encarnados, quanto desencarnados, vibram na mesma sintonia.
Quando nos deixamos levar pela música, estamos nos conectando com outras mentes.
Cabe a cada um de nós, escolher nossas companhias.
Sabemos que quando adormecemos, nos emancipamos do corpo que dorme, e continuamos a viver, a atuar como Espíritos parcialmente desligados do corpo.
Para onde vamos? Com quem estaremos?
É nossa escolha! Refletem nossas decisões durante o dia.

No EEV2019, a equipe do Atendimento Fraterno contou uma história, sobre a lenda do apanhador de sonhos.
Importante, para defender nossos sonhos, criarmos hábitos mentais saudáveis, e aquietarmos a mente antes de dormir. Que tal uma música suave para nos auxiliar nessa hora?


6.            Prece final e passes
7.            Avaliação
Aula para 14 jovens com participação. O tema da hora da novidade foi o EEV2019, pois 8 deles haviam participado. Houve bastante interesse no tema da noite, e não tinham ideia de que os tipos de música mais apreciados, estão relacionados com o nível evolutivo das pessoas, nem do papel da verdadeira arte.

8.            Anexos:


Adolescência e Vida – Joanna de Ângelis

O  ideal,  nesse momento,  é a canalização  dessa força criadora para  as experiências da arte, do trabalho, do estudo, da pesquisa, que a transformam em energia superior, potencializada pela beleza e pelo equilíbrio. Nesse sentido, deve-se recorrer aos desportos, à ginástica, às caminhadas e atividades ecológicas que, além de úteis à comunidade, também gastam o  excesso hormonal, tanto físico quanto psíquico.  (Cap. 7 – O Adolescente, o amor e a paixão)

Caminho, Verdade e Vida, Emmanuel, Cap. 151MOCIDADE

       “Foge também dos desejos da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.” — Paulo. (2ª EPÍSTOLA A TIMÓTEO, capítulo 2, versículo 22.)

Quase sempre os que se dirigem à mocidade lhe atribuem tamanhos poderes que os jovens ter­minam em franca desorientação, enganados e dis­traidos. Costuma-se esperar deles a salvaguarda de tudo.
Concordamos com as suas vastas possibilidades, mas não podemos esquecer que essa fase da exis­tência terrestre é a que apresenta maior número de necessidades no capítulo da direção.
O moço poderá e fará muito se o espírito en­velhecido na experiência não o desamparar no tra­balho. Nada de novo conseguirá erigir, caso não se valha dos esforços que lhe precederam as atividades. Em tudo, dependerá de seus antecessores.
A juventude pode ser comparada a esperançosa saída de um barco para viagem importante. A infân­cia foi a preparação, a velhice será a chegada ao porto. Todas as fases requisitam as lições dos mari­nheiros experientes, aprendendo-se a organizar e a terminar a viagem com o êxito desejável.
É indispensável amparar convenientemente a mentalidade juvenil e que ninguém lhe ofereça pers­pectivas de domínio ilusório.
Nem sempre os desejos dos mais moços cons­tituem o índice da segurança no futuro.
A mocidade poderá fazer muito, mas que siga, em tudo, “a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor”.


O Consolador, Emmanuel/Chico Xavier

Perg. 167
(...) Apenas desse modo podereis compreender a sagrada influência que a música nobre opera nas almas, arrebatando-as, em quaisquer ocasiões, às ideias indecisas da Terra, para as vibrações do íntimo com o Infinito. (...)

Perg. 168
-Temos de convir que todas as expressões de arte na Terra representam traços de espiritualidade, muitas vezes estranhos à vida do planeta.
Através dessa realidade, podereis reconhecer que a arte, em qualquer de suas formas puras, constitui objeto da atenção carinhosa dos invisíveis, com possibilidades outras que o artista do mundo está muito longe de imaginar.


Atualidade do Pensamento Espírita – Vianna de Carvalho/Divaldo Franco

Perg. 135) O que define o estilo de cada artista, quer na Música, literatura, pintura, etc. ?

Cada Espírito vê e sente a Arte com as suas características e expressões evolutivas, porquanto, à medida que o ser progride, amplia a capacidade de perceber a beleza e senti-la nas suas várias expressões. Essa forma de identificação muito pessoal, que é resultado da experiência individual, expressa-se na aptidão por uma ou por outra manifestação da Arte, bem como na maneira de traduzir o sentimento no instante da sua captação. Colocando a sua maneira de entendimento e emoção cria o estilo, que se poderia chamar o legítimo autógrafo colocado naquilo que faz.

Perg. 136) Quais os gêneros artísticos que mais se aproximam do Belo, do Uno, em se considerando todos praticados com amor, expressividade e devoção?
Toda manifestação de Arte que inspira paz e eleva o ser, que o estimula a progredir e a amar, tomando a vida mais nobre e feliz, traduz o Belo, o Uno, por ser emanação do Seu Psiquismo. Na sua imensa diversidade encontramos a mesma magia e grandeza, formando um painel de unidade, que liberta a criatura humana das paixões mais primitivas, aproximando-a da Fonte Geradora de Vida. Nenhuma, no entanto, específica, porquanto, em se considerando os vários estágios em que se encontram os seres terrestres, fazem-se necessárias todas as expressões, a fim de atingir igualmente e sem distinção os candidatos à aproximação do Incomparável Artista, de Quem tudo procede. No entanto, a Música, em razão da sua capacidade de penetrar o imo do ser, graças às suas melodias que arrebatam e sensibilizam, despertando o divino no humano, parece ser o veículo que mais aproxima a criatura do seu Criador...


149) A Arte, como lazer, de forma geral traz algum benefício às pessoas?
São inegáveis os benefícios que a Arte proporciona às pessoas, particularmente em forma de lazer e de terapia, porquanto, não somente o trabalho é essencial ao crescimento espiritual como também o repouso, a meditação, o encontro consigo mesmo. Nesses momentos, qualquer manifestação de Arte ajuda no processo de elevação e libertação do pensamento, conduzindo-o aos cenários agradáveis da alegria, da paz, da plenificação.

André Luiz  -  Conduta Espírita - Psicografia: Waldo Vieira ‘Perante a Arte’
Colaborar na Cristianização da Arte, sempre que se lhe apresentar ocasião.
A Arte deve ser o Belo criando o Bem.
Repelir, sem crítica azeda, as expressões artísticas, torturadas que exaltem a animalidade ou a extravagância.
O trabalho artístico que trai a Natureza nega a si próprio.
Burilar incansavelmente as obras artísticas de qualquer gênero.
Melhoria buscada, perfeição entrevista.
Preferir as composições artísticas de feitura espírita integral, preservando-se a pureza doutrinária.
A arte enobrecida estende o poder do amor.
Examinar com antecedência as apresentações artísticas para as reuniões festivas nos arraias espíritas, dosando-as e localizando-as segundo as condições das assembleias a que se destinem.
A apresentação artística é como o ensinamento: deve observar condições e lugar.
“E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” – Paulo.(Filipenses, 4:7)

Amor, Imbatível Amor – Joanna de Ângelis/Divaldo Franco, Item ‘Comportamentos Autodestrutivos
Na impossibilidade de mudar-se a vida moderna, melhor explicando, os fatores negativos que conduzem aos conflitos — desde que existem valiosos contributos para a sua valorização, aquisição do seu significado, crescimento interior e progresso individual como geral
— cumpre se criem condições próprias para enfrentá-la, se elaborem programas pessoais para a auto-realização e bem-estar, não se deixando atormentar com as imposições secundárias, desde que percam o significado de que desfrutam...
Exercícios físicos e rítmicos — natação, caminhada, ciclismo, de acordo com a eleição de cada qual —, ao lado de exercícios mentais — boa leitura, música inspiradora, conversações instrutivas, relacionamentos estimulantes, orações, meditação, ajuda ao próximo — são excelentes terapias para a redescoberta do significado existencial e da vida, aceitando sem estresse as imposições contemporâneas, decorrentes do processo da evolução científico- tecnológica.
A existência enriquecida de ideais deve ser utilizada mediante os diversos recursos hodiernos para transformar o tumulto em harmonia, a doença em saúde e a tendência à autodestruição em prolongamento da vida sob a égide do amor que a tudo deve comandar, inspirar e vencer. Face à sua presença e vitalidade, o mundo se modifica e o ser se liberta, plenificando-se.