terça-feira, 28 de maio de 2019

Ação dos Espíritos em nossas vidas


Casa Espírita Missionários da Luz – Pré e Mocidade > 13 anos – 24/06/2018

Tema: Ação dos Espíritos em nossas vidas

Objetivos:
Estudar a ação dos Espíritos amigos em nossa vida;
Identificar a importância das horas do sono para contatos com os Espíritos Amigos;
Reconhecer a importância da gratidão a nossos mentores espirituais.

Bibliografia:
O Livro dos Espíritos, Perguntas 459 à 461, 467,  489 à 521 (anjos da guarda);
Evangelho, Cap XXVIII -  Coletânea de Preces Espíritas – II “Aos Anjos Guardiães e aos Espíritos Protetores”;
- https://youtu.be/v1FXl59Amq4  Haroldo Dutra Dias fala sobre o pensamento e a forma como estamos todos conectados. Faz analogia com o whatsApp. Muito bom.
(Estudo sobre o aborto na ótica da DE, para suporte no exercício inicial).

Material: Frases em pedaços de cartolina.

Desenvolvimento:
1.      Hora da novidade, exercícios de respiração profunda e prece inicial

2.      Motivação:
Pedir 3 voluntários para um exercício (ou escolher, dependendo da turma. Precisa ter uma menina entre os 3!).
Sair da sala com um deles (que seja o mais argumentador dos três). Explicar que o papel dele no exercício é usar todos os argumentos que imaginar, para convencer que em hipótese nenhuma a jovem (um dos outros 2), que acabou de descobrir que está grávida deve abortar. Você é um grande amigo dela. E esse é o seu papel. Ele não deve comentar com os demais esse papel.

Depois sair com o outro jovem, e dizer a mesma coisa, porém, a argumentação dele deve ser no sentido de que ela deve abortar. Ele também é um grande amigo dela.

Com os 3 na frente da sala, falar para a jovem que ela acabou de descobrir que está grávida! Você ainda está sob o impacto da notícia, e chamou seus dois melhores amigos/as, para te ajudarem nesse momento.
(5 min para a conversa entre eles).

            - Depois perguntar à jovem: E aí? O que vc decidiu?

3.       Desenvolvimento:
Agradecer a participação dos 3 voluntários e ler a perg 459 de O LE:
Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?
“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”

Uma questão para a gente refletir: o quanto somos de fato, influenciados pelos Espíritos que nos rodeiam?  Como podemos perceber a atuação dessa influência sobre nós?
- pelos pensamentos que se cruzam, às vezes contrários uns aos outros. No nosso exercício, os 2 amigos representam os Espíritos que nos influenciam com suas ideias.
      - mas de quem é a decisão afinal? Qual vida está de fato, impactada pela decisão? A própria vida!! Não é a dos amigos! É a vida de quem está decidindo!

Se analisarmos nossas ações no fim de cada dia, buscando perceber quais foram nossos pensamentos, quais argumentos usamos mentalmente para tomar as decisões, para fazer escolhas, poderemos verificar se estávamos sob influência boa ou má.

- Estamos sempre sob influência; os Espíritos nos rodeiam o tempo todo; em todos os lugares.
Quem lembra disso no seu dia-a-dia?
Tudo o que fazemos, faríamos se pudéssemos ver nosso Guia Espiritual junto de nós?

Quando Jesus, na oração O Pai Nosso, nos orienta a pedirmos em prece: “livrai-nos do mal”, de qual mal Ele pediu que nos libertássemos?
- O mal que existe em nós, pois as influências espirituais acontecem de acordo com o que já trazemos em nós.

- Como fazer para não nos deixarmos levar pelas influências negativas? Oração e vigilância!

Oremos sempre ao nosso anjo da guarda. Não esqueçam do anjo da guarda de vocês! Entregar os trechos abaixo em pedaços de cartolina, aleatoriamente, e pedir que leiam, um por vez:

“Não vos parece grandemente consoladora a ideia de terdes sempre junto de vós seres que vos são superiores, prontos sempre a vos aconselhar e amparar, a vos ajudar”? (perg. 495)

 “Eles se acham ao vosso lado por ordem de Deus. Foi Deus quem aí os colocou e, aí permanecendo por amor de Deus, desempenham bela, porém penosa missão.”

“Ah! se conhecêsseis bem esta verdade! Quanto vos ajudaria nos momentos de crise!” (Perg 495)

“estabelecei entre eles e vós essa terna intimidade que reina entre os melhores amigos.” (Perg 495)

procurai estar sempre em relação conosco. Sereis assim mais fortes e mais felizes.(Perg 495)

Estão “prontos sempre a vos aconselhar e amparar, a vos ajudar”  (Perg 495)

 “Desde o nascimento até a morte e muitas vezes o acompanha na vida espírita, depois da morte, e mesmo através de muitas existências corpóreas, que mais não são do que fases curtíssimas da vida do Espírito.” (LE.,perg. 492)

- Devemos ser sempre gratos ao nosso amigo espiritual! Sempre nos lembrarmos dele e sermos gratos!

4.      Fixação de conteúdo  ( 10 min finais da aula)
Propor uma visualização para encontro do guia espiritual. Para isso, é preciso silenciar a mente e o coração.
Reduzir a luz, colocar uma música suave, e iniciar a visualização, de forma suave e lenta.
Depois, perguntar se alguém gostaria de compartilhar a experiência.
- se não foi possível perceber como é seu Guia Espiritual, imaginem como gostariam que ele/ela fosse. Criem essa imagem mentalmente. Agora, sempre que forem se lembrar, se conectar com ele/ela visualizem essa imagem. Isso ajuda a tê-lo/la mais próximo de nós.

Vamos encerrar com o Poema da Gratidão, de Amélia Rodrigues, psicografado por Divaldo Franco.

5.      Exercícios de respiração profunda e encerrar com leitura do Poema da Gratidão (Amélia Rodrigues/Divaldo Franco).

Avaliação:
Aula para 10 jovens com boa participação e interesse. Chegaram naturalmente na atuação dos Anjos Guardiães. A visualização foi boa; alguns comentaram que sentiram mais que na vez anterior. Um jovem pediu para fazer toda semana! Não deu tempo de ler a oração da Gratidão.

ANEXOS



Intervenção dos espíritos no mundo corporal - Anjos da Guarda         Relaxamento


         Neste momento, vamos todos fechar os olhos e ir fazendo e imaginando aquilo que eu for dizendo...

         Vamos respirar fundo uma vez ... duas vezes... sentindo o ar entrar e sair dos pulmões... mais uma vez, respirando fundo.

         Agora vamos contar até três.

         Um, sentindo os braços e as pernas relaxadas... Dois, sentindo a barriga, o pescoço e a cabeça sem nenhuma pressão... Três, sentindo todo o corpo relaxado e muito bem.

         Agora imagine um lugar bonito, cheio de plantas e pássaros e um belo jardim. Veja as árvores, as flores e um lago, com águas tranquilas e limpas.

         Agora você vai se imaginar sentado, pode ser em uma cadeira, neste belo lugar. Você está calmo e tranquilo, ouvindo os passarinhos e sentindo o vento nos cabelos.

         Você está esperando alguém chegar. Você, então, sente que uma alegria o invade e você olha e vê aquele olhar calmo, sereno, aquele sorriso contagiante. Você reconhece seu anjo da guarda, seu espírito protetor. Não importa como ele se apresente a você. Você sabe, sente que ele é o seu anjo da guarda.

         Ao vê-lo, você se sente envolvido por um abraço cheio de energias positivas. Vocês dois sentam-se para conversar e suas palavras cheias de amor e sabedoria invadem o seu coração... Você sabe que ele lhe ama muito e quer o seu bem, acompanha você desde antes de ter reencarnado, protege você e te dá bons conselhos.

         Ele diz que você pode conversar com ele sempre que quiser, através da prece. Diz também que ele vai continuar te aconselhando a seguir no caminho do bem. Você está ouvindo tudo com muita atenção. A conversa é calma e tranquila.

         Antes de ir embora, ele te dá um último conselho: um conselho para o bem, mas que só você sabe o que é. Neste momento você está ouvindo este conselho...

         Seu anjo da guarda então se despede de você com um abraço especial e diz que estará sempre com você, te auxiliando.

         Você, então, o vê se afastar e observa novamente o lugar onde está: um jardim muito bonito. Foi um encontro muito especial, mas agora é preciso retornar para a sala de aula.

         Devagar, você vai se espreguiçar enquanto eu conto de um a três. Um, espreguiçando os braços ... Dois, espreguiçando as pernas ... Três, dando um grande bocejo... Você está novamente se sentindo bem, e nesta sala de aula. Pode abrir levemente os olhos e se espreguiçar mais uma vez. Para dizer que está tudo bem, dê um sorriso.





Poema da Gratidão
Senhor Jesus, muito obrigada!
Pelo ar que nos dás,
Pelo pão que nos deste,
Pela roupa que nos veste,
Pela alegria que possuímos,
Por tudo de que nos nutrimos.
Muito obrigada, pela beleza da paisagem,
Pelas aves que voam no céu de anil,
Pelas Tuas dádivas mil!
Muito obrigada, Senhor!
Pelos olhos que temos…
Olhos que vêm o céu, que vêm a terra e o mar,
Que contemplam toda beleza!
Olhos que se iluminam de amor
Ante o majestoso festival de cor
Da generosa Natureza!
E os que perderam a visão?
Deixa-me rogar por eles
Ao Teu nobre Coração!
Eu sei que depois desta vida,
Além da morte,
Voltarão a ver com alegria incontida…
Muito obrigada pelos ouvidos meus,
Pelos ouvidos que me foram dados por Deus.
Obrigada, Senhor, porque posso escutar
O Teu nome sublime, e, assim, posso amar.
Obrigada pelos ouvidos que registram:
A sinfonia da vida,
No trabalho, na dor, na lida…
O gemido e o canto do vento nos galhos do olmeiro,
As lágrimas doridas do mundo inteiro
E a voz longínqua do cancioneiro…
E os que perderam a faculdade de escutar?
Deixa-me por eles rogar…
Eu sei que no Teu Reino voltarão a sonhar.
Obrigada, Senhor, pela minha voz.
Mas também pela voz que ama,
Pela voz que canta,
Pela voz que ajuda,
Pela voz que socorre,
Pela voz que ensina,
Pela voz que ilumina…
E pela voz que fala de amor,
Obrigada, Senhor!
Recordo-me, sofrendo, daqueles
Que perderam o dom de falar
E o teu nome sequer podem pronunciar!…
Os que vivem atormentados na afasia
E não podem cantar nem à noite, nem ao dia…
Eu suplico por eles
Sabendo que mais tarde,
No Teu Reino, voltarão a falar.
Obrigada, Senhor, por estas mãos, que são minhas
Alavancas da ação, do progresso, da redenção.
Agradeço pelas mãos que acenam adeuses,
Pelas mãos que fazem ternura,
E que socorrem na amargura;
Pelas mãos que acarinham,
Pelas mãos que elaboram as leis
E pelas que as feridas cicatrizam
Retificando as carnes partidas,
A fim de diminuírem as dores de muitas vidas!
Pelas mãos que trabalham o solo,
Que amparam o sofrimento estancam lágrimas,
Pelas mãos que ajudam os que sofrem,
Os que padecem…
Pelas mãos que brilham nestes traços,
Como estrelas sublimes fulgindo nos meus braços!
…E pelos pés que me levam a marchar,
Erecto, firme a caminhar,
Pés da renúncia que seguem
Humildes e nobres sem reclamar.
E os que estão amputados, os aleijados,
Os feridos e os deformados,
Os que estão retidos na expiação
Por crimes praticados noutra encarnação,
Eu rogo por eles e posso afirmar
Que no Teu Reino, após a lida
Desta dolorosa vida,
Poderão bailar
E em transportes sublimes com os seus braços também afagar.
Sei que lá tudo é possível
Quando Tu queres ofertar,
Mesmo o que na Terra parece incrível!
Obrigada, Senhor, pelo meu lar,
O recanto de paz ou escola de amor,
A mansão de glória
Ou pequeno quartinho,
O palácio ou tapera, o tugúrio ou a casa de miséria!
Obrigada, Senhor, pelo amor que eu tenho e
Pelo lar que é meu…
Mas, se eu sequer
Nem um lar tiver
Ou teto amigo para me abrigar
Nem outra coisa para me confortar,
Se eu não possuir nada,
Senão as estradas e as estrelas do céu,
Como sendo o leito de repouso e o suave lençol,
E ao meu lado ninguém existir, vivendo e chorando sozinho ao léu…
Sem um alguém para me consolar
Direi, cantarei, ainda:
Obrigada, Senhor, porque te amo e sei que me amas,
Porque me deste a vida
Jovial, alegre, por Teu amor favorecida…
Obrigada, Senhor, porque nasci,
Obrigada, porque creio em Ti.
…E porque me socorres com amor,
Hoje e sempre,
Obrigada, Senhor (Amélia Rodrigues)